Relatório da CPI da Covid não poderá ser ignorado, afirmam deputados

Brasília, quarta-feira, 27 de outubro de 2021 - 11:53

POLÍTICA

Relatório da CPI da Covid não poderá ser ignorado, afirmam deputados


Por: Christiane Peres

Parlamentares classificam documento como “histórico”, defendem abertura das denúncias e as devidas punições aos envolvidos.

Sérgio Lima/Poder360
Relatório da CPI está nas mãos de Augusto Aras, a quem caberá decidir se cabe a acusação contra Bolsonaro

Após seis meses de trabalho, a CPI da Covid aprovou na terça-feira (26), por 7 votos a 4, o relatório do senador Renan Calheiros (MDB-AL), que explicitou crimes cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro, seu governo e apoiadores durante a pandemia, que já vitimou mais de 600 mil brasileiros.

Com a aprovação do relatório, a comissão de inquérito, criada para investigar ações e omissões do governo durante a pandemia, encerra seus trabalhos pedindo o indiciamento de 78 pessoas e duas empresas. O relatório aprovado pelos senadores tem 1.289 páginas e responsabiliza o presidente Jair Bolsonaro por considerar que ele cometeu pelo menos nove crimes.

Há também pedidos de indiciamento de ministros, ex-ministros, três filhos do presidente, deputados federais, médicos, empresários e um governador – o do Amazonas, Wilson Lima. Duas empresas que firmaram contrato com o Ministério da Saúde – a Precisa Medicamentos e a VTCLog – também foram responsabilizadas.

Para os deputados do PCdoB, o documento é “histórico” e não poderá ser ignorado.

“Histórico! Por 7 a 4, com último voto de Omar Aziz, é aprovado o relatório da CPI da Pandemia que imputa 9 crimes a Jair Bolsonaro e indicia por crimes contra a Humanidade e outros delitos. Em homenagem aos mais de 606 mil mortos e seus familiares, haverá justiça! Além disso, Renan diz que Bolsonaro agiu como um ‘missionário enlouquecido para matar o próprio povo’ e que ‘tem pulsão de morte e figura ao lado dos facínoras que cultua, como Ustra, Pinochet, Hitler, entre outros’. É uma fala fortíssima! A CPI finda desferindo duros golpes”, avalia o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP).

O líder da legenda na Câmara, deputado Renildo Calheiros (PE), afirma que o resultado da investigação é "alarmante" e precisa ter desdobramentos. "O relatório da CPI está repleto de acusações que precisam ter andamento. Os responsáveis por crimes na pandemia têm de ser punidos. É alarmante e muito grave o que tem ali", disse.

A vice-líder da Minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) também repercutiu o resultado da votação em suas redes. “Histórico! Parabéns à CPI da Covid pelo resultado! Fica a expectativa das consequências judiciais e as devidas punições. Que a Câmara instaure imediatamente a Comissão do Impeachment. E que pautemos o Projeto de Lei de auxílio às famílias das vítimas do presidente”, elencou.

Já a vice-líder da Oposição, deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC) afirmou que a CPI, agora, se transformará “numa Frente Parlamentar de acompanhamento da Pandemia” e que “Bolsonaro vai pagar por cada crime cometido”.

O documento, agora, está nas mãos da Procuradoria-Geral da República (PGR), órgão responsável pela possível abertura de processos indicados na CPI.

“É um documento histórico e não poderá ser ignorado!”, destacou a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA).

A declaração soa como um apelo ao procurador-geral da República, Augusto Aras, até então aliado de Bolsonaro, para que não engavete a investigação feita pelos senadores e que descortinou uma série de crimes envolvendo o governo federal e seu mandatário na pandemia. Caso a PGR decida acusar o presidente, a denúncia será submetida à Câmara dos Deputados e, se for aprovada, seguirá para julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF).

Em sua conta no Twitter, o deputado Rubens Jr (PCdoB-MA) também comentou o resultado e ironizou a tensão que deve estar afetando a família presidencial. “Acabou a CPI, mas os trabalhos continuam. Bolsonaro e seus filhos foram indiciados. Tic tac.”









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com