PEC impede uso político das Forças Armadas

Brasília, quarta-feira, 14 de julho de 2021 - 15:54

POLÍTICA

PEC impede uso político das Forças Armadas


Por: Christiane Peres

Deputada apresenta Proposta de Emenda à Constituição para impedir que militares da ativa ocupem cargos civis no Executivo.

Richard Silva/PCdoB na Câmara
Deputada Perpétua Almeida afirma que ocupar cargos políticos no governo não é tarefa para militar da ativa

Com 189 assinaturas de parlamentares de todos os partidos, a deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC) protocolou nesta quarta-feira (14) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 21/2021, que visa impedir a politização das Forças Armadas. O texto, agora, precisa ser distribuído pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara para que tenha início a tramitação da matéria na Casa.

Em entrevista coletiva, a parlamentar afirmou que acredita que Lira dará encaminhamento ao texto e reforçou a necessidade de “resgatar o espírito do Constituinte, que deixou claro o papel das Forças Armadas e como elas lidarão com a política”.

“A Constituição é muito clara quando se refere ao papel das Forças Armadas. São instituições nacionais permanentes e regulares. Não são instituições de governos, partidos políticos. Não é o ‘meu exército’, não são as ‘minhas Forças Armadas’. São as Forças Armadas do Brasil. Nossa ideia é resgatar o espírito do Constituinte e conta com amplo apoio não só na Casa, como de ex-ministros da Defesa também. Agora é importante que essa PEC seja distribuída. Lira precisa encaminhar para a CCJC e depois disso instalaríamos uma comissão especial, onde iríamos discutir o mérito”, explicou a parlamentar.

Apelidada de PEC Pazuello, a proposta passou a ter maior procura por outros parlamentares desde que o Comando do Exército decidiu não punir o general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, após participação em ato político ao lado de Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro, transgredindo assim o Estatuto Militar e o Código Disciplinar do Exército. Na ocasião, Pazuello participou de um passeio de moto com o presidente e outros políticos, subiu num trio elétrico e discursou para apoiadores. Tudo sem máscara de proteção em meio à pandemia que já havia vitimado à época quase 480 mil brasileiros.

Segundo Perpétua, é preciso impedir o uso político das Forças Armadas e preservá-las de ações de governo. “Ninguém imaginou que teríamos um presidente da República que faria tanta confusão com isso. Ocupar cargos políticos no governo não é tarefa militar”, destacou.

A proposta acrescenta ao artigo 37 da Constituição Federal o inciso XXIII, vedando aos militares da ativa a ocupação de cargo de natureza civil na administração pública, nos três níveis de governo: União, estados e municípios. De acordo com o texto, o militar da ativa que tiver menos de 10 anos de serviço "deverá afastar-se da atividade" para exercer cargo civil na administração pública. Já os que tiverem mais de uma década de trabalho deverão passar automaticamente para a inatividade na data da posse no novo cargo.

Apoio

Esta semana, por meio de nota, os ex-ministros da Defesa Nelson Jobim, Celso Amorim, Jaques Wagner, Aldo Rebelo e Raul Jungmann declararam apoio ao texto.

"A Proposta de Emenda Constitucional apresentada pela deputada Perpétua Almeida propõe, em boa hora, a regulamentação da participação de militares da ativa em funções de governo, separando aquelas de natureza técnica e que podem ser atribuídas à militares, daquelas que permitam o risco da politização das Forças Armadas com consequências nocivas para estas instituições e para o País. A tramitação da matéria, em frutífero diálogo entre o Parlamento e as Forças Armadas, fortalecerá a democracia. Conclamamos o Congresso Nacional a assumir o papel que lhe cabe e que nos une: a defesa das nossas Forças Armadas, dos serviços que prestou ao País e de sua condição de instituições de Estado, conforme determina nossa Constituição federal", afirmam os ex-ministros no texto.

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, também já havia se manifestado a favor da proposta.

 









Últimas notícias

Notícias relacionadas

29/7 - 15:28 | POLÍTICA
Povo entendeu que é preciso separar Forças Armadas do Estado, diz Perpétua

11/11 - 19:33 | PEC 215 NÃO!
Deputados do PCdoB reforçam apoio à causa indígena

28/10 - 11:26 | DEMARCAÇÃO DE TERRAS
PEC 215 é aprovada à revelia de índios e deputados

27/10 - 19:19 | DEMARCAÇÃO DE TERRAS INDÍGENAS
Indígenas prometem guerra com aprovação da PEC 215

20/10 - 18:37 | DEMARCAÇÃO DE TERRAS INDÍGENAS
Ruralistas tentam aprovar relatório da PEC 215

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com