Julgamento de Temer deve ser o foco

Brasília, sexta-feira, 14 de julho de 2017 - 14:59

PALAVRA DA LÍDER

Julgamento de Temer deve ser o foco


Por: Alice Portugal

Divulgação

Em meio à maior crise política da história do Brasil, o Congresso insiste em discutir, ao mesmo tempo, temas cruciais para o país sem o envolvimento da sociedade. A cada dia que o corrupto Michel Temer permanece na Presidência da República, mais direitos são defenestrados. Não podemos mais permitir.

A Reforma Trabalhista, que foi aprovada e sancionada nesta semana, rasga 117 artigos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) para favorecer empresários em detrimento dos trabalhadores. O objetivo é precarizar as relações trabalhistas de forma ainda mais radical do que a terceirização também sancionada. É quase o retorno da escravidão.

Em agosto, a base governista tentará atropelar mais uma vez para aprovar uma reforma política antidemocrática. A proposta quer excluir do Parlamento partidos, como o PCdoB, que têm história e papel estratégico na luta política. Se essa ideia vingar, a sub-representação das ditas minorias, como negros e mulheres, será amplificada.

A Bancada do PCdoB está mobilizada para impedir a desfiguração do sistema eleitoral por meio do avanço de modelos como o Distritão e Distrital Misto, que enfraquecem os partidos com tradição democrática.

O momento é de garantirmos a saída de Temer para dar um basta à crise. A rejeição da denúncia contra o presidente na Comissão de Constituição e Justiça é um resultado artificial. Doze deputados foram substituídos no colegiado para assegurar o placar. Trocaram emendas e benesses por votos em negociações promíscuas numa tenda montada no Palácio do Planalto. No plenário, entretanto, aprovaremos o andamento do processo no dia 2 de agosto.

O parlamento tem de se redimir da pecha da inércia, da displicência e do compadrio corporativo diante da corrupção presidencial revelada aos olhos da nação brasileira. Se a Câmara rejeitar a autorização para que o Supremo Tribunal Federal (STF) julgue o presidente, esta Casa estará marcada indelevelmente por uma mancha que permanecerá por gerações de brasileiros.

O país precisa voltar à normalidade democrática. A aprovação da PEC das Diretas é um caminho inexorável para acabarmos com essa política minúscula. Temos que devolver ao povo a condução dos destinos do Brasil. Até o final de julho, temos o recesso parlamentar. É uma oportunidade de reforçarmos nossa mobilização, pressionando deputados nos seus respectivos estados. Lutaremos até o fim para que Temer saia daquela cadeira, que ocupou por meio de um golpe contra a democracia.
#ForaTemer. #DiretasJá.

*Deputada federal pela Bahia e líder do PCdoB na Câmara. 









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com