Frente pelas Diretas Já reafirma que saída para a crise é pelo voto popular

Brasília, terça-feira, 11 de julho de 2017 - 10:59

DIRETAS JÁ

Frente pelas Diretas Já reafirma que saída para a crise é pelo voto popular


Por: Da Redação*

Comunistas defendem fortalecimento do movimento para impedir avanço da agenda ultraliberal.

Richard Silva/PCdoB na Câmara
Frente pelas Diretas monta agenda em defesa de voto popular

Parlamentares e representantes dos movimentos sociais, centrais sindicais e sociedade civil se reuniram nesta segunda-feira (10), no Senado Federal, com um objetivo: fortalecer a rede nacional pelas Diretas Já. Para tanto, os participantes foram taxativos na necessidade de ampliar o movimento pelo Brasil com atos pró eleições diretas.

“O lançamento dos comitês regionais é essencial nessa nossa luta para dar amplitude ao movimento. Não queremos interinidade. Queremos que o poder de decisão seja dado ao povo”, defendeu a líder comunista, Alice Portugal (BA).

Para o coordenador da Frente, senador João Capiberibe (PSB-AP), o novo cenário político reforça a necessidade de fortalecimento pelas Diretas. “Temer está com os dias contados na Presidência e precisamos, principalmente, unificar o movimento pelas Diretas Já por meio de uma rede nacional de informações. A ideia é construir um acompanhamento por todos os estados, ter atos e comitês pelo Brasil todo. Temos um ato dia 21 de julho na Paraíba, outro ainda esse mês, no Ceará, e dia 19 de agosto em Goiânia”, informou.

Edson Carneiro, o índio, da Frente Povo Sem Medo, falou “que com o agravamento da crise, o povo brasileiro não vai aceitar a imposição de Rodrigo Maia. Não existe saída para a crise que não seja pelas urnas”.

Mais cedo, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara deu mais um passo rumo à queda de Temer. O relator da denúncia contra o presidente golpista deu parecer favorável ao andamento do processo. Para a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), o relatório pelo acatamento da denúncia da PGR pode dar uma virada no jogo político. “Nós precisamos focar na questão democrática, mas não podemos desconsiderar a agenda. Na interinidade, Maia pode tocar as reformas de Temer. Então, é urgente jogar luz e consolidar a Frente e o movimento pelas Diretas”, disse.

Vicente Selistre, da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), afirmou que este é o momento de unir forças de todos os movimentos sociais, centrais sindicais e sociedade, em busca das Diretas.

Para tanto, o grupo criou uma secretaria-executiva da Frente pelas Diretas Já. A primeira reunião vai acontecer nesta quinta-feira (13), na liderança do PSB, para dar encaminhamentos sobre o resultado da reunião. Essa secretaria ficará sob a coordenação do PSB, mas com representantes de várias lideranças políticas.

Também estiveram presentes as senadoras Lídice da Mata (PSB-BA), Gleise Hoffmann (PT-PR) e Fátima Bezerra (PT-RN), os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ) e Jorge Viana (PT-AC), os deputados Enio Verri (PT-PR), Henrique Fontana (PT-RS), Glauber Braga (PSOL-RJ), Wadih Damous (PT-RJ), e as deputadas Janete Capiberibe (PSB-AP), e Zenaide Maia (PR-RN), além do ex-presidente do PSB, Roberto Amaral. Entre centrais e movimentos sociais, a Intersindical, a Auditoria Cidadã, o MAS, a Associação Vocação, o MST, a NCST; o SITRAEMG, a CUT, a Frente Brasil Popular, o MNCCD, a Frente Povo Sem Medo, o Conselho Federal de Economia, o INAÔ e o Movimento Camponês Popular.

*Com informações da Frente pelas Diretas Já.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com