Reforma Administrativa favorece apadrinhamentos e corrupção, aponta Alice Portugal

Brasília, terça-feira, 20 de julho de 2021 - 14:29      |      Atualizado em: 3 de agosto de 2021 - 13:54

REFORMA ADMINISTRATIVA

Reforma Administrativa favorece apadrinhamentos e corrupção, aponta Alice Portugal


Por: Priscila Lobregatte, Portal PCdoB

Membro da comissão especial que analisa a PEC 32 na Câmara, a deputada segue denunciando o desmonte do serviço público proposto na matéria.

Agência Câmara

A luta contra a reforma administrativa segue em alta mesmo no recesso parlamentar. Sob a hashtag #CancelaDeforma, parlamentares, entidades e lideranças de movimentos sociais estão mobilizados, também nas redes, para barrar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 32 apresentada pelo governo Bolsonaro. A matéria reúne uma mudanças que, em seu conjunto, configuram o desmonte do serviço público, a fragilização do papel do servidor e abrem caminho para a corrupção.

A deputada Alice Portugal (BA), juntamente com a bancada do PCdoB, está engajada nesta luta, denunciando, pelas redes sociais, os prejuízos que a PEC causará ao país e desmontando argumentos que atacam o funcionalismo.

“A reforma administrativa não vai resultar em economia; servirá para favorecer a terceirização do serviço público, beneficiando políticos donos de empresas terceirizadas, nepotismo cruzado, apadrinhamento político e esquemas de corrupção”, explica Alice.

A parlamentar destacou ainda que a proposta “é tão perversa quanto foi a reforma da previdência e a reforma trabalhista, todas elas são ataques diretos à classe trabalhadora. Devemos lutar agora contra a PEC 32 para que não seja aprovada”.

Ela apontou que a reforma “tira estabilidade do servidor e abre caminho para apadrinhamento político em cargos públicos, o que pode facilitar a corrupção e ainda deixa a população sem um bom atendimento”. E acrescentou que “precisamos de pessoas capacitadas trabalhando nos hospitais, nas escolas e na segurança pública. A reforma administrativa irá colocar apadrinhados, sem capacitação, para atender a população”.

Neste sentido, denunciou Alice, “o servidor público concursado e com estabilidade no cargo é a pedra no sapato do corrupto. Não é à toa a PEC 32 de Bolsonaro e Guedes propõe acabar com a estabilidade e com concurso público”.

Para ela, a estabilidade é inegociável. "Trata-se de uma proteção para o Estado e consequentemente para o povo. O período de experiência só existe também para beneficiar e facilitar investidas criminosas de políticos corruptos”.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com