Reprovação a Bolsonaro vai a 53% e atinge novo recorde, aponta pesquisa

Brasília, sexta-feira, 17 de setembro de 2021 - 11:44

POLÍTICA

Reprovação a Bolsonaro vai a 53% e atinge novo recorde, aponta pesquisa


Por: Da Redação

Deputados repercutem números do Datafolha, que mostra crescimento na avaliação negativa do presidente após atos do 7 de Setembro.

Evaristo Sá - AFP

Uma nova pesquisa do instituto revela que a avaliação positiva do presidente da República segue em curva descendente, com apenas 22% de aprovação entre os eleitores.

Os números do levantamento divulgados nesta quinta-feira (16), apontam que a reprovação a Jair Bolsonaro continua em ritmo de crescimento e chegou a 53%, o pior índice do mandato. A oscilação foi de dois pontos percentuais em relação ao recorde verificado no levantamento anterior realizado em julho (51%). O presidente é avaliado como bom ou ótimo por 22%, abaixo dos 24% do levantamento anterior. O índice dos que o consideram regular (24%) é o mesmo de julho.

"Somos MAIORIA! Datafolha: reprovação ao governo Bolsonaro cresce e atinge 53%, pior índice do mandato. Aprovação ao Genocida encolheu e chegou a 22%. Aos poucos, a base de apoiadores está encolhendo", comemorou a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), vice-líder da Minoria, em uma rede social.

A pesquisa do instituto Datafolha foi realizada entre os dias 13 e 15 de setembro, refletindo a tendência do eleitorado depois das manifestações antidemocráticas do presidente na última semana.

Para o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), além de ser "um manancial de más notícias para Bolsonaro", os números do levantamento trazem "dois recados claros". "A insanidade, que foi de ataques a STF/TSE, passou pelo ridículo dos tanques até chegar à micareta golpista de 7 de setembro, teve efeito reverso", avaliou.

"Tanto barulho por nada: a "demonstração de força" encheu a paciência do povo brasileiro, que já manjou o diversionismo e não aguenta mais. Quem precisa trabalhar para ganhar a vida não tem tempo para quarteladas e faniquitos de quem está comendo picanha de 1800 reais o quilo. Mas, principalmente, a pesquisa mostra que o maior problema de Bolsonaro é a vida real. Com a inflação roçando dois dígitos, desemprego e fome, não há ilusionismo que resolva. Tanto que a rejeição subiu até nas regiões Norte e Centro-Oeste, locais em que mostrava resiliência", observou.

O parlamentar destacou ainda que o aumento da reprovação ao presidente teve forte crescimento entre os evangélicos, setor mais cortejado pelo chefe do Executivo.

"A rejeição ao anticristo chegou a 41%, bem maior que os 29% que ainda o apoiam. Pudera, é uma parcela que se entrelaça com setores mais empobrecidos da população, castigados pela ruína econômica do país", disse. E fez uma ironia: "O Malafaia não paga a feira".

Segundo a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA), a queda de popularidade que Bolsonaro amarga "só confirma que o povo não engole mais as mentiras que o presidente conta para justificar o desemprego, a fome e os preços nas alturas". "Essa conta não fecha! Já temos uma solução para todos esses problemas: Impeachment já!", escreveu no Twitter.

A deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC) também usou a rede social para comentar os resultados do Datafolha: "Recorde de rejeição. Bolsonaro se desmanchando".









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com